sábado, 29 de agosto de 2009

Dicas Blogger – Uma odisséia blogueira

Podem me chamar de maluco, mas a história que escrevo a seguir não é ficção. É apenas uma forma lúdica e nerd de interpretar alguns acontecimentos da Blogosfera.

Para minha surpresa, encontrei várias semelhanças do personagem Odisseu da mitologia grega com a história de uma blogueira muito querida na Blogosfera: a Juliana Sardinha. Por isso, achei que seria interessante reescrever a história dela de uma forma diferente, poderia dizer até que um tanto bizarra. O início da história se dá quando a Juliana Sardinha se aventura a mergulhar em um mundo pouco conhecido, onde tem vivido uma verdadeira epopéia nesses últimos dois anos.

Assim como Odisseu de “A Odisséia”, a Juliana Sardinha também tinha uma vida normal, tranqüila, sem muitos sobressaltos e definitivamente dedicada à sua família e profissão. Acontece que todo herói, mais cedo ou mais tarde é chamado a cumprir seu destino, e não foi diferente com a Juliana a partir do momento em que ela descobriu um novo mundo Blogosfera.

Este novo mundo ainda era pouco habitado, quase que inóspito por causa das dificuldades enfrentadas por quem acabava de chegar. No entanto, alguma coisa nesse mundo era fascinante e envolvente, algo misterioso parecia enfeitiçar os viajantes de um modo muito peculiar e conseqüentemente a Juliana se rendeu a esse encanto e construiu logo em seguida o seu querido navio batizado de Dicas Blogger.

A Juliana optou por utilizar uma embarcação do tipo Blogspot e no início os desafios pareciam impossíveis de serem vencidos, mas ela lutava bravamente para vencer o mal tempo e os monstros marinhos (widgets, css, sitemaps, etc ) que surgiam em seu caminho.

Navegar pela Blogosfera é uma jornada exaustiva que somente os fortes sobrevivem por mais de seis meses e mesmo sabendo que navegaria por lugares perigosos, a Juliana estava determinada a seguir o curso de sua viagem. Coragem e determinação eram seus pontos fortes, e ela não estava disposta a desistir mesmo com tantas pessoas subjugando a capacidade da sua embarcação.

O tempo foi passando e coincidência ou não, outras pessoas que lutavam por uma Blogosfera mais solidária e fraterna cruzaram o caminho da Juliana. A partir de então, ela não estava mais sozinha nessa batalha e poderia contar com amizade de Hariane, Kompulsivo e Waurea. Isso sem contar a legião de pescadores que ela encontrou no caminho e pacientemente os ajudou a melhorar suas técnicas de pesca.

Como nem tudo poderia ser um mar de rosas, forças malignas espreitavam a nossa heroína e eis que surge o primeiro grande inimigo, um ditador implacável e egocêntrico chamado Telephonico. Senhor supremo das conexões marítima de uma região, ele desferiu um golpe cruel e covarde que feriu, prejudicou e aleijou temporariamente a Juliana. Mesmo assim, ela se manteve firme e seguiu sua jornada com passos mais vagarosos.


A tempestade de Telephonico abrandou e depois disso, a Juliana tornou-se ainda mais forte e acredito que depois desse episódio ela conseguiu ainda mais companheiros de jornada, inclusive o semi-deus Kardoso, que tem o incrível poder atrair seres mágicos capazes de realizar fotossíntese diante de um computador.

Durante a jornada a Juliana enfrentou muitos desafios e mais terríveis de todos são os habitantes de uma Ilha chamada Plágius. Esses habitantes são como o ciclope Polifemo que Odisseu enfrentou, mas esses que a Juliana enfrentou e ainda tem enfrentado são também arrogantes, dissimulados e não respeitam nenhuma regra de convivência marítima da Blogosfera. Infelizmente eles estão se espalhando em um ritmo exponencial e cabe a todos nós ajudarmos a Juliana a lutar contra a infestação ameaçadora dos habitantes da ilha de Plágius.

Em “A Odisséia”, Odisseu levou dez anos para terminar sua jornada e depois voltou pra casa onde viveu os restos de seus dias ao lado de sua família. Desejo muito que a Juliana não desanime e realize grandes conquistas, mas uma coisa é certa: o Dicas Blogger só está no início e independente do tempo de sua jornada, ele certamente também terá um final feliz.

Nota do autor:
1-) Este post foi minha forma de homenagear o Dicas Blogger pelo seus 2 anos de "vida";

2-) Mesmo baseados em fatos reais, nomes e acontecimentos foram alterados para não expor pessoas e adaptar no contexto da história.


segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Como escolher o tema da sua monografia

Não é raro ficarmos indecisos e mudarmos o tema da monografia, aconteceu comigo e acontece com a maioria dos universitários. Entretanto, se tivesse tido algumas orientações na época certa, talvez não tivesse “pulado de galho em galho” como fiz nos primeiros meses do último ano da faculdade.

Acho que a primeira dica pra quem deseja fazer uma boa monografia é começar a pensar no tema com no mínimo dois anos de antecedência. Pois a monografia será um trabalho extenso que consumirá muitas e muitas horas do seu tempo, por isso, não se deve deixar pra última hora e escolher qualquer tema. Além do mais, a monografia te acompanhará durante um bom tempo na sua vida profissional. Escolher um bom tema pode abrir muitas portas na carreira, da mesma forma que um tema ruim pode fechar muitas delas.


Está com dificuldades para fazer o seu TCC?

Clique aqui e descubra como obter ajuda.



Certamente que o tema não vai cair no seu colo enquanto você assiste “Pânico na TV” (!) e raramente alguém vai dar uma sugestão que te agrade. É preciso então escolher um tema que seja do seu interesse e pesquisar, pesquisar e pesquisar sobre ele. Na medida em que você passa a conhecer sobre o tema, você saberá se é viável fazê-lo ou procurar por outro.


A primeira regra sobre a escolha do tema é: "Mudar de tema não é ruim, o ruim é não poder mudar porque não há mais tempo". Por isso a importância de começar a pensar e pesquisar muito antes.

Segue abaixo alguns fatores muitos importantes que devem ser observado na hora de escolher o tema da sua monografia:
sábado, 15 de agosto de 2009

Escolhendo o orientador da sua monografia

Depois de um tema, talvez o orientador seja a escolha mais importante a se fazer. Entre as muitas funções que ele desempenha, posso listar as seguintes: sugerir temas, discutir o assunto, apresentar bibliografias, apontar os caminhos, supervisionar o trabalho, acompanhar atividades, alertar sobre erros, corrigir as falhas, incentivar melhorias, permanecer atento a prazos, responsabilizar-se por trâmites administrativos e muitas outras coisas que só um bom professor orientador saberá listar.




Justamente por ser trabalhoso orientar uma monografia, muitas instituições de ensino superior pagam aos professores um “bônus” para participar de bancas de avaliação e por cada aluno que ele orienta. Nada mais justo, pois ele tem como obrigação reservar um horário semanal para auxiliar o orientando. Mas, mesmo que o professor não receba esse “bônus”, ainda assim, é uma obrigação do professor auxiliar satisfatoriamente o aluno que ele mesmo aceitou orientar.

Escolher um bom orientador é fundamental para elaborar uma boa monografia, pois por mais que aluno se esforce, na maioria das vezes, ele não tem a experiência necessária para fazer sozinho. Por isso, deve se ter muita cautela nessa decisão. Abaixo segue uma lista dos principais pontos que em minha opinião devem ser levados em conta na hora de escolher um orientador.

 
;