Neurônio 2.0
segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Violino #4 - Evolução dos meus 9 meses de estudo

Apesar da exaustiva carga de trabalho, este ano de 2017 tenho ficado com muito tempo ocioso e para ocupar este tempo resolvi fazer algo bem desafiador: aprender a tocar violino.

No vídeo a seguir está o resultado do 9 º mês de prática.

Somente depois que gravei o vídeo que percebi que estou tocando rápido demais essa música, e que se tocasse mais devagar poderia ter ficado um som mais nítido. No próximo mês tento gravar novamente.

quarta-feira, 11 de outubro de 2017

Poderia ter sido um espetacular series finale

Semana mais tranquila no trabalho por conta do feriado e resolvi passear em Campinas para distrair a cabeça. Meu plano era dar uma volta no centro da cidade e depois ir ao shopping para almoçar e pegar um cineminha no meio da tarde.

Estava eu explorando a selva de pedra no centro da cidade quando parei minha moto em um cruzamento. No entanto, o carro que vinha logo atrás não fez o mesmo e bateu na minha traseira, arremessando moto e condutor (vulgo, eu) alguns metros adiante.

Lembro-me de sentir o solavanco e de cada milésimo de segundo até bater contra o asfalto. Enquanto caía em câmera lenta, eu podia ouvir o som da moto quebrando, e de repente eu estava com a perna direita debaixo do motor e o braço esquerdo preso entre a corrente e a roda. Ao constatar essa minha situação, pensei: "Pronto, me ferrei legal agora!".

series finale


segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Perdas e erros

Somos condicionados a trabalhar exaustivamente para ter dinheiro, casa, carreira, carro, família, status, etc, e quando conquistamos temos a ilusão de que nunca perderemos por acreditar que merecemos. Porém, nada é para sempre. Basta poucos erros para perdermos tudo o que levamos muitos acertos para conquistar:
- Perdemos dinheiro por errar na forma de administrá-lo e gastá-lo; 
- Perdemos saúde por errar na escolha do que comemos e bebemos;
- Perdemos equilíbrio quando erramos ao fazer o que não queremos, e mesmo assim fazemos para agradar os outros; 
- Perdemos a fé quando erramos insistentemente em compreender o incompreensível; 
- Perdemos sanidade por tomar decisões erradas, mesmo sabendo que eram erradas, das quais nos arrependeremos pelo resto da vida;
- Perdemos a lucidez por acreditar em falsas promessas em um mundo em que as pessoas não sabem mais o que significa lealdade;
- Perdemos a dignidade quando confiamos nas pessoas, quando na verdade a única pessoa que você pode (e deve) confiar é você mesmo;
- Perdemos a vida quando nosso maior desejo é esquecer nossos erros.



domingo, 17 de setembro de 2017

Violino #3 - Evolução dos meus 8 meses de estudo

De tempos em tempos me desafio a fazer ou aprender algo diferente. Alguma atividade que me ajude a sair da minha rotina e me proporcione desenvolver novas habilidades.

Apesar da exaustiva carga de trabalho, este ano de 2017 tenho ficado com muito tempo ocioso e para ocupar este tempo resolvi fazer algo bem desafiador: aprender a tocar violino.

No vídeo a seguir está o resultado do 8º mês de prática.


sábado, 12 de agosto de 2017

Violino #2 - Evolução dos meus 7 meses de estudo

De tempos em tempos me desafio a fazer ou aprender algo diferente. Alguma atividade que me ajude a sair da minha rotina e me proporcione desenvolver novas habilidades.

Apesar da exaustiva carga de trabalho, este ano de 2017 tenho ficado com muito tempo ocioso e para ocupar este tempo resolvi fazer algo bem desafiador: aprender a tocar violino.

No vídeo a seguir está o resultado do 6º e 7º mês de prática. Confira!



O que achou? Será que consigo um dia tocar como a Hilary Hahn!? Mais uns mil anos de muita prática e estudo eu acho que chego próximo #sqn kkkkkkkkk
domingo, 16 de julho de 2017

Apenas um sonho... ou talvez não - Parte 2

Encontrei-me observando meus cachorros brincarem no quintal de casa enquanto ouvia duas tias conversarem. Em certo momento, percebi que alguma coisa estava errada quando notei que a gaiola do papagaio não estava no lugar onde deveria estar, mas antes que eu pudesse pensar melhor sobre isso, propositadamente, as tias desviaram a minha atenção chamando-me para a conversa delas.

Quando a campainha da minha casa tocou, pedi licença para as tias e saí correndo atravessando o extenso quintal. Estranhamente, os cachorros não começaram a latir como sempre acontecia quando a campainha tocava, anunciando que alguém estava chamando no portão. Como tantas outras vezes, nem me dei ao trabalho de abrir o portãozinho que separava os quintais, saltei como em uma corrida de obstáculos e num instante eu estava no corredor de acesso à garagem da minha casa. 

Ao chegar de sobressalto na garagem, meu carro não estava lá, e deparei-me com três pessoas: as tias que a dois segundos atrás eu havia deixado no quintal de cima, e a minha segunda mãe. Ela usava um vestido simples na cor azul marinho e seus cabelos louros encaracolados a rejuvenescia, no mínimo, uns 20 anos.

Conhecendo-me muito bem, minha segunda mãe pensou que aquela situação me causaria medo (o que na maioria das vezes seria verdade). Examinou-me então atentamente com seus olhos azuis inconfundíveis, esperando alguma reação minha, e após alguns segundos de hesitação, percebi o que estava acontecendo e me atirei nos braços dela em um longo e muito aguardado abraço. 

quarta-feira, 5 de julho de 2017

A inusitada Maratona de Programação da Etec

Mais uma vez a área do meu cérebro denominada ACIMBI entrou em ação. Não sabe o que é ACIMBI!? Ok, vamos lá: A-C-I-M-B-I significa Área Central de Ideias Malucas, Bizarras e Insanas.

A ideia maluca da vez foi realizar pela primeira vez na Etec uma Maratona de Programação, um evento no qual os participantes passaram mais de duas horas em atividades que exigiram muita pesquisa e trabalho em equipe para resolver os desafios relacionados à área de programação de computadores.

Pela descrição acima parece que foi um evento totalmente sério e 100% focado em programação. Engana-se quem pensa que foi apenas isso, mas só quem participou sabe das maluquices que nós da comissão organizadora fizemos. Conseguimos em só evento proporcionar atividades que desenvolvessem o raciocínio lógico, o trabalho em equipe, surgimento de situações bizarras e integração entre ex-alunos, alunos do Técnico em Informática para Internet e alunos das três turmas do ETIM em Informática. 

Espero que todos os que participaram tenham se diverto tanto quanto eu naquela noite.

Os heróis que acreditaram na minha ideia insana

 
;