domingo, 16 de julho de 2017

Apenas um sonho... ou talvez não - Parte 2

Encontrei-me observando meus cachorros brincarem no quintal de casa enquanto ouvia duas tias conversarem. Em certo momento, percebi que alguma coisa estava errada quando notei que a gaiola do papagaio não estava no lugar onde deveria estar, mas antes que eu pudesse pensar melhor sobre isso, propositadamente, as tias desviaram a minha atenção chamando-me para a conversa delas.

Quando a campainha da minha casa tocou, pedi licença para as tias e saí correndo atravessando o extenso quintal. Estranhamente, os cachorros não começaram a latir como sempre acontecia quando a campainha tocava, anunciando que alguém estava chamando no portão. Como tantas outras vezes, nem me dei ao trabalho de abrir o portãozinho que separava os quintais, saltei como em uma corrida de obstáculos e num instante eu estava no corredor de acesso à garagem da minha casa.

Ao chegar de sobressalto na garagem, meu carro não estava lá, e deparei-me com três pessoas: as tias que a dois segundos atrás eu havia deixado no quintal de cima, e a minha segunda mãe. Ela usava um vestido simples na cor azul marinho e seus cabelos louros encaracolados a rejuvenescia, no mínimo, uns 20 anos.

Conhecendo-me muito bem, minha segunda mãe pensou que aquela situação me causaria medo (o que na maioria das vezes seria verdade). Examinou-me então atentamente com seus olhos azuis inconfundíveis, esperando alguma reação minha, e após alguns segundos de hesitação, percebi o que estava acontecendo e me atirei nos braços dela em um longo e muito aguardado abraço.

quarta-feira, 5 de julho de 2017

A inusitada Maratona de Programação da Etec

Mais uma vez a área do meu cérebro denominada ACIMBI entrou em ação. Não sabe o que é ACIMBI!? Ok, vamos lá: A-C-I-M-B-I significa Área Central de Ideias Malucas, Bizarras e Insanas.

A ideia maluca da vez foi realizar pela primeira vez na Etec uma Maratona de Programação, um evento no qual os participantes passaram mais de duas horas em atividades que exigiram muita pesquisa e trabalho em equipe para resolver os desafios relacionados à área de programação de computadores.

Pela descrição acima parece que foi um evento totalmente sério e 100% focado em programação. Engana-se quem pensa que foi apenas isso, mas só quem participou sabe das maluquices que nós da comissão organizadora fizemos. Conseguimos em só evento proporcionar atividades que desenvolvessem o raciocínio lógico, o trabalho em equipe, surgimento de situações bizarras e integração entre ex-alunos, alunos do Técnico em Informática para Internet e alunos das três turmas do ETIM em Informática. 

Espero que todos os que participaram tenham se diverto tanto quanto eu naquela noite.

Os heróis que acreditaram na minha ideia insana

 
;