quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Steve Jobs em Stanfortd (legendado)

Fazendo uma faxina no meu laptop essa semana, redescobri um vídeo muito interessante que há muito tempo tinha visto e baixado da web. Como sabia que valia a pena, resolvi assistir novamente, mas dessa vez não resisti em compartilhar com meus leitores essa belíssima lição de vida.

O vídeo é de 2005 na universidade de Stanforf (EUA), onde Steve Jobs foi convidado a proferir um discurso para alunos e convidados durante a formatura daquele ano. No discurso, Jobs conta alguns episódios da sua história e, além de ser muito comovente, é também fonte de motivação para lutar por nossos sonhos.

Gostei tanto que depois quis saber mais sobre a história do Steve Jobs lendo a biografia dele. É um livro fantástico que mostra não apenas o lado "goodguy" dele, mas também o lado neurótico e muita vezes cruel na forma como ele tratava as pessoas. Mesmo assim, não dá para negar o quanto Jobs foi um homem brilhante que mudou completamente o mundo em que vivemos. Depois de ler a sua biografia, passei a admirar ainda mais essa grande pessoa que foi Steve Jobs.

Lendo a biografia de Steve Jobs
Lendo a biografia de Steve Jobs na varanda de casa


segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Kate e sua cadeira de rodas

Em meados de abril do ano passado eu e minha esposa nos mudamos para uma nova casa e para nossa surpresa, um dos nossos vizinhos já com certa idade, viúvo e que mora sozinho, nos mostrou que ainda há pessoas de bom coração nesse mundo. E, além disso, tivemos uma verdadeira lição de superação e vontade de viver que nos fez pensar em como devemos dar valor às pequenas coisas da vida.

Kate e sua cadeira de rodas

Há pouco mais de dois anos a cadela Kate da foto acima perdeu os movimentos das patas traseiras, mas nem por isso ela deixou de brincar, correr e latir desesperadamente quando vê um gato. Isso só foi possível graças à sua cadeira de rodas e ao enorme carinho, cuidado e amor do seu dono. Kate ficou paraplégica, mas com o uso do equipamento feito sob medida pelo seu dono, ela consegue se locomover sem dificuldade na rua ou em casa.

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

A indústria do tabaco e suas estratégias

Há alguns anos, quando não se sabia dos malefícios causados pelo tabaco, fumar era chique, sinal de status na sociedade. Foi assim que nossos pais e avós começaram a fumar. Hoje sabemos de tais agravos, mas mesmo assim muitas pessoas continuam fumando. Por quê? Porque a indústria do tabaco mudou de estratégia.

A indústria do tabaco sabe que os adolescentes ainda não têm o córtex pré-frontal (área do cérebro responsável pela tomada de decisões de forma madura e sensata) plenamente desenvolvido (isso ocorre por volta dos 24 anos de idade, variando de pessoa para pessoa), e por isso são mais sujeitos a decidir sem pensar nas consequências. Por isso, hoje, a indústria do tabaco tem como principal foco os jovens de 15 a 24 anos.

indústria do tabaco e suas estratégias

E como atrair os jovens? Fazendo campanhas publicitárias onde jovens descolados aparecem fumando; patrocinando festas nas quais modelos bonitas e rapazes “sarados” e bem vestidos passam oferecendo cigarros gratuitamente, como um aperitivo; colocando os cigarros à venda ao lado de balas e chicletes, com embalagens coloridas e chamativas. E isso tem funcionado, infelizmente.

sábado, 5 de outubro de 2013

Saúde: Narguilé não é inofensivo

Como profissional de saúde e membro do Programa de Controle do Tabagismo de Águas de Lindóia (que é um programa do governo no qual recebemos pessoas que desejam parar de fumar, gratuitamente, pelo SUS), hoje venho somar forças ao Ministério da Saúde e ao INCA em sua nova campanha, que se destina a esclarecer a população sobre o uso do narguilé. Para quem não sabe o que é, transcrevo a definição de narguilé que está no site do INCA: 

"O narguilé, também é conhecido como cachimbo d' água ou shisha ou Hookah - é um dispositivo para fumar no qual o tabaco é aquecido e a fumaça gerada passa por um filtro de água antes de ser aspirada pelo fumante, por meio de uma mangueira. Por utilizar mecanismos de filtragem, o consumo de narguilé é visto como menos nocivo à saúde. Mas, na verdade, seu uso é mais prejudicial do que o de cigarros. Segundo a Organização Mundial da Saúde (2005), uma sessão de narguilé dura em média de 20 a 80 minutos, o que corresponde à exposição a todos os componentes tóxicos presentes na fumaça de 100 cigarros"
Narguilé não é inofensivo


 
;