sábado, 29 de maio de 2010

O Inglês para o profissional de TI

Segundo Antônio Carlos Gil, presidente da Brasscom (associação que reúne as principais companhias do setor de Tecnologia da Informação ), o Brasil tem condições de se tornar um dos três maiores exportadores de software e serviços de tecnologia do mundo. Isto porque muitas empresas que terceirizam serviços de TI no exterior estão procurando alternativas para reduzir os riscos dos investimentos, mas para o Brasil aumentar sua participação nesse mercado, o principal o desafio é qualificar profissionais suficientes para atender a demanda.

Em 2008, 33 mil vagas na área deixaram de ser preenchidas no país. A carência é tamanha que empresas como IBM se dispõem a contratar e treinar profissionais inexperientes com a condição de que falem inglês. Mas por que o inglês[bb] é mais importante que o conhecimento técnico? “Por que esse é um negócio feito em inglês”, afirma Antonio Carlos. "Você treina um programador de TI em seis meses, mas para ser fluente na língua são necessários três anos de estudo". (*1)

Sobram vagas no mercado e falta mão-de-obra qualificada para preencher essas vagas que podem ser dividas em três níveis de formação: o básico, que permite a pessoa seguir instruções; o intermediário, que exige uma conversação técnica; e o avançado para cargos de liderança que exige uma conversação de negócios.

Está mais do que claro que a Língua Inglesa é imprescindível para qualquer profissional de TI que queira uma boa colocação no mercado e posteriormente crescer na carreira. Este próprio blogueiro e profissional de TI que vos escreve é prova de que a falta do inglês é um empecilho na vida profissional. Há mais de um ano, uma pessoa que trabalha em uma conceituada empresa de tecnologia me mandou e-mail depois de analisar alguns trabalhos que desenvolvi e publiquei aqui neste blog. O e-mail foi curto e objetivo:


Quer vir trabalhar conosco aqui na ___?
Qual o seu nível de inglês?

A primeira pergunta eu responderia com um “SIM” bem grande se tivesse sequer uma resposta pra a segunda. Na época meu inglês era ridículo, não que hoje seja uma maravilha e está bem longe de ser, mas depois de perder uma oportunidade como essa, pretendo estar pelo menos um pouquinho preparado no caso dessa oportunidade bater novamente à minha porta. Comecei a estudar inglês por conta através de video-aulas e hoje estou matriculado em uma escola de idiomas da minha cidade. Ainda tenho um longo caminho a percorrer para atingir um bom nível, mas é como eu sempre digo: “Antes tarde do que mais tarde ainda”. O importante é nunca desistir, pois um dia chegamos lá.


Aproveitando a oportunidade... por que não fazer uma propaganda da escola que estudo? Ou melhor, da escola que está me auxiliando a atingir meus objetivos profissionais.


A
JET Incorporated é uma escola de idiomas que, com pouco tempo de atuação no mercado, já é reconhecida em toda região por sua metodologia diferenciada, dinâmica de ensino e qualidade dos profissionais. Como aluno frequente e exigente, posso garantir os esforços e dedicação dos professores (Marília, Aline e Tamara) que ensinam e fazem o possível para auxiliar seus alunos em quaisquer dificuldades, inclusive guardar uma folha de exercício para um aluno que por razão de trabalho precisou faltar a uma aula de song.


* Fonte: Revista Você S/A de Fevereiro 2009
quinta-feira, 20 de maio de 2010

LOST é o melhor seriado do mundo

Ok! Admito que exagerei um pouco no título porque gosto é relativo e varia de pessoa pra pessoa. Mas como a grande maioria das pessoas que vão ler esse post até o fim são fãs da série, tenho certeza que eles irão concordar comigo.

(lost) [bb]
Fonte: http://chimichanga.wordpress.com


LOST foi ao ar pela primeira vez no dia 22 de setembro de 2004 e trouxe a história dos passageiros do vôo Oceanic 815 que caiu em uma ilha do Pacífico. A princípio parecia ser apenas mais uma história de sobreviventes de um acidente de avião em uma ilha, mas já no primeiro episódio descobrimos que não é tão simples assim. O criador de LOST ( J.J. Abrahams ) foi muito mais além e criou uma trama envolvente e imprevisível que nos obriga constantemente a raciocinar sobre os acontecimentos que ligam “os nós” da história. Essa talvez seja a fórmula “mágica” que atraiu e repeliu tantas pessoas. Diferentemente de outras séries, em cada episódio são mostrados alguns trechos da história que isoladas não dizem muita coisa. Dessa forma, tem-se um “prato cheio” pra quem gosta de pensar, criar teorias (mesmo que malucas) e discussões com outros fãs. No entanto, é um martírio pra quem não gosta de pensar muito e prefere uma história pronta e “mastigada”.

O mais impressionante de LOST em minha opinião, foram as mudanças de foco em cada temporada que mesmo assim não fugiram da essência da primeira temporada. Muitas séries usam o mesmo enredo durante várias temporadas, o que a torna maçante, ou mudam de foco e perdem sua identidade. Além disso, LOST soube inovar ao usar os recursos de flash-blacks no início, flash-forwards no meio e os flash-sideways no fim.(*)

Durante seis anos acompanhando a evolução da série e seus personagens, não há como negar que algumas passagens serão inesquecíveis, desde as cenas engraçadas com o Hurley até as mais emocionantes com o Desmond e a Penny. Pensei em assistir tudo de novo quando acabar, mas já fiz isso antes de começar a sexta temporada e definitivamente não é a mesma coisa.

Hurley e Charlie
Fonte: http://www.lostreview.com


Desmond e Penny
Fonte: http://musingandmotion.wordpress.com

Como o fim de LOST está próximo e é iminente, resolvi escrever este post e registrar meu agradecimento à série pelos momentos de reflexão, diversão e entretenimento. Fica aqui também a dica pra quem não conhece (o que é muito difícil) ou que ainda não assistiu: LOST é o melhor seriado do mundo. Eu Recomendo!



Flash-back é uma cena interposta que leva a narrativa de volta a um tempo diferente daquele que a história se apresenta.

Flash-forward ocorre quando a sequência primária dos eventos na história é interrompida pela interposição de uma cena representando um evento esperado, projetado ou imaginado que ocorre no tempo futuro.

Flash-sideway
ocorre quando a sequência primária dos eventos na história é interrompida pela interposição de uma cena representando um evento alternativo, um universo paralelo não interligado com os eventos reais ou uma realidade paralela aparentemente desconexa com a realidade original.

Fonte: LOSTpédia

ATUALIZADO em 23 de Maio às 10hs30min

Depois de ouvir o Nerdcast 210 resolvi fazer como o pessoal do Jovem Nerd e deixar registrado a minha teoria sobre o final de LOST. Provavelmente estará errada, como as milhões de teorias criadas pelos fãs, mas é justamente isso que torna a série fascinante: ser imprevisível. Mesmo assim, arriscamos e criamos as mais bizarras teorias, afinal, não custa nada colocar a cabeça pra pensar não é?

Minha teoria é que nesse último episódio o falso Locke (o Monstro) estará bem perto de sair da ilha e Jack o impedirá com a ajuda de Desmond. Mas antes disso, Kate, Hurley e Sawyer serão mortos de alguma forma pelo Monstro. Triste com a morte de seus amigos Jack usará seu poder de “novo Jacob” e descobrirá uma forma de voltar no tempo (talvez em 1974) e causará um novo incidente que mudará o futuro para a realidade dos flash-sideways, e assim todos aqueles que morreram na ilha serão salvos.

Quando Jack mudar o futuro todos os seus amigos serão salvos, mas não impedirá o Monstro de sair da ilha. Desmond sabendo que estão vivendo em uma falsa realidade, recruta várias pessoas e mostra a elas que tudo aquilo não deveria estar acontecendo e discutem se devem ou não de alguma forma “voltar” à ilha para impedir o Mostro a custo de todas as pessoas que morrerão, inclusive eles mesmo.



ATUALIZADO em 25 de Maio às 15hs30min

Agora toda minha cidade saberá que sou fã de LOST. Meu amigo Lucas Valério que trabalha no Jornal Gazeta de Itapira escreveu uma matéria sobre Seriados e como fanático por LOST lá fui eu dar uma entrevista. Clique na imagem para ampliar.

 
;