terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Metas 2009 e os devidos agradecimentos


SOBRE AS METAS 2009


No início de 2009 estabeleci algumas metas para cumprir no decorrer do ano. Escrevi sobre elas no post Planejamento 2009, mas só hoje notei o quanto tive que adaptá-las por razão dos diversos contratempos que encontrei no caminho. Entretanto, o objetivo por trás das metas continuou o mesmo: desenvolvimento e reconhecimento profissional.

Minha maior meta para este ano era escrever uma monografia que agregasse valor à minha profissão e que fosse interessante para atrair a atenção de profissionais da área de TI, e dessa forma ser reconhecido pelo trabalho. Os resultados visíveis do meu trabalho foram:

  • Escrevi a monografia, apresentei no dia 24 de novembro e consegui a nota máxima;
  • Fiz uma palestra sobre minha monografia para aproximadamente 110 alunos do Curso Técnico em Informática da ETEC João Maria Stevanatto de Itapira/SP.
Segue abaixo uma foto da apresentação em São Paulo, um recorte do Jornal Tribuna de Itapira que noticiou minha apresentação no Congresso e duas fotos da palestra para os alunos do curso Técnico em Informática.


Dia 13 de Novembro no CONIC 2009 em São Paulo


Recorte do Jornal Tribuna de Itapira - dia 29/ 11/ 2009



Palestra para os alunos da ETEC João Maria Stevanatto na ACEI

Diante de tudo isso, posso dizer com absoluta certeza que em 2009 realizei todas as minhas metas e não poderia me esquecer que cada vitória foi também produto dos esforços de várias outras pessoas. Por isso, escrevo também este post para agradecer a todos aqueles que de uma forma ou de outra se esforçaram para que meus sonhos tornassem realidade.



AGRADECIMENTOS

Dizem que uma palavra pode mudar o destino de uma pessoa, mais do que nunca posso garantir a veracidade dessa afirmação. Digo isso por que no início do ano eu estava em dúvida se faria minha monografia sobre um sistema em Java ou sobre a metodologia Extreme Programming. Foi então que resolvi arriscar e por e-mail pedir “conselhos” de profissionais blogueiros.

Para minha surpresa quase todos responderam ao e-mail, mas teve uma pessoa que realmente disse o que eu precisava ouvir. Dentro de um texto elaborado e atencioso diante do meu problema, uma frase se destacou e chamou minha atenção: “Eu acho que você tem que ganhar tempo” - essas foram palavras do Christian Barbosa que me fizeram decidir pelo Extreme Programming. Percebi que deveria maximizar os resultados com o mínimo de esforço e com este tema consegui unir o útil ao agradável, pois conclui minhas obrigações acadêmicas na faculdade e já tenho um trabalho publicado sobre um tema relativamente novo que já meu abriu algumas “portas” e poderá abrir muitas outras.


Sem dúvida que quem mais teve trabalho foi outro amigo e blogueiro que sequer me conhece pessoalmente. Além da generosidade desmedida, o Camilo Lopes é um profissional de TI que se dispôs a me ajudar com a monografia, dando dicas e corrigindo meus textos, mas preciso confessar que da primeira vez que ele fez isso tive um ódio mortal dele.

Quando mandei o pré-projeto da monografia, ele apontou inúmeras falhas em todos os parágrafos e em algum lugar ele comentou algo mais ou menos assim: “Que isso, parecendo frase de índio!”. Naquele momento o sangue subiu na cabeça e fiquei revoltado, mas depois de um tempo a ficha caiu: “mas como SOU IDIOTA! Ele está ajudando de boa vontade e estou bravo por ele dizer a verdade”. Foi então que percebi como estava despreparado. Não tinha metodologia e base cientifica para escrever uma monografia. Consciente disso resolvi que usaria esse episódio a meu favor e prometi a mim mesmo que ele nunca mais teria motivo pra dizer algo parecido sobre meu trabalho. Pesquisei e estudei dias, noites e feriados sobre como fazer uma monografia à altura do Camilo Lopes e acho que consegui, porque depois disso ele ajudou MUITO e corrigiu diversos textos durante todas as fases da monografia, mas nunca mais ele disse qualquer coisa a respeito de “frases de índio”.


Dos meus colegas de turma na faculdade, foram poucos os que escolheram como eu a Professora Claudete Moscardini como orientadora. Por ser exigente e não dar moleza nas aulas, ela não é a queridinha dos alunos que procuram sombra e água fresca. Felizmente descobri a tempo que são essas as características que fazem de um professor um excelente orientador.

No dia da defesa da monografia ela disse que fui um bom orientando, mas hoje percebi o quanto ela esta enganada, porque não fiz mais do que minha obrigação como estudante. Ela é que foi uma ótima orientadora. Sendo uma profissional “antenada” sobre as novas tendências do mercado, foi ela quem sugeriu o tema sobre XP, um assunto que nenhum outro professor sabia do que se tratava. Além disso, é claro, ela sempre respondeu minhas dúvidas por e-mail, foi atenciosa, dedicada, exigente e ajudou a solucionar diversas dificuldades durante o caminho.


Posterior a escolha do tema, outro profissional que mesmo sem saber motivou muito para realizar este trabalho foi o Vinicius Teles, autor de “Extreme Programming: Aprenda como encantar seus usuários desenvolvendo software com agilidade e alta qualidade, o livro foi uma grande fonte pesquisa. Mas antes mesmo de ler o livro, a palestra dele que assisti no site da Improve it foi avassaladora para me motivar a uma dia também palestrar como ele sobre XP. Evidentemente que não tenho o mesmo dinamismo e eloquência dele, mas apresentar o trabalho para aproximadamente 110 alunos do curso técnico já foi um começo.


Embora pense não ter ajudado muito, meu colega e amigo Robinson Chieratto também foi fundamental para a construção desse trabalho. Nossas extensas conversas sobre implantação de sistemas e novas metodologias de desenvolvimento foram muito importantes para amadurecer e desenvolver o assunto na minha cabeça. Além do mais, ele esteve presente durante todas as apresentações do trabalho, me passando confiança, segurança e pontuando meus acertos e falhas.


Infelizmente minha faculdade não ofereceu respaldo aos seus alunos para elaborar e construir uma monografia, por isso precisei procurar por ajuda e quem primeiro me ajudou foi a minha noiva xxxxx. Por ter tido aulas de metodologia de projeto na faculdade de Enfermagem, ela me esclareceu e deu várias dicas a respeito de como escrever uma monografia. Hoje percebo o quanto minha turma perdeu não tendo essas aulas de metodologias de projeto, pois meus colegas cometeram vários erros dos quais minha noiva havia me alertado muito antes de começar a escrever a minha monografia.


A vocês que ajudaram, o meu MUITISSIMO OBRIGADO! Minhas vitórias estão marcadas com o estímulo de seus esforços e amizade, serei eternamente grato por contribuírem na realização dos meus sonhos.

Bom, depois de tudo que passei durante este ano acredito que posso deixar a seguinte mensagem a todos que buscam realizar seus sonhos:


“Um sonho que se sonha só, é só um sonho que se sonha só,
mas sonho que se sonha junto é realidade” (Raul Seixas)

 
;