quinta-feira, 20 de junho de 2013

Graduação à distância, eu defendo!

Olá amigos, mais uma vez estou aqui expondo minha opinião a convite do dono desse blog, o que me deixa extremamente feliz, uma vez que adoro escrever. Pensando no que iria compartilhar com vocês, resolvi usar minha mais recente decisão como assunto: estudar à distância (EaD).

A primeira vez que ouvi a respeito da graduação à distância, eu achei ridículo. “Ninguém deve estudar nada”, pensei, “O diploma nem deve ser reconhecido!”, porém, resolvi deixar de lado o preconceito, esse mal comum do ser humano, e pesquisar sobre isso. “Paguei a língua”, o diploma é igual ao de um aluno que fez o curso 100% presencial, e, em minha opinião, o estudo deve exigir muita concentração, visto que o aluno da graduação à distância não está todos os dias em sala de aula, e precisa se esforçar sozinho durante a semana. Além disso, quem quer estudar estuda! Não importa se é presencial ou à distância... já quem não quer, pode ir todos os dias na faculdade, que não vai adiantar de nada! Afinal, o que mais se vê nas faculdades que só oferecem cursos 100% presenciais são alunos especialistas em “latinha de cerveja” e “boteco em frente à faculdade”!


 EaD - Educação à distância

Descobri que o ensino à distância não é tão à distância assim, já que são obrigatórias aulas presenciais toda semana, ou periodicamente, e não é essa “moleza” que as pessoas pensam que é: você tem prazos, provas e tem que cumprir tudo direitinho, senão é “bomba”! Pesquisando sobre o assunto, encontrei o seguinte relato de uma professora de EaD:

“Do lado dos estudantes, o desafio da EaD é reduzir a evasão, mais alta que na educação presencial. Uma das causas reside nas expectativas equivocadas dos alunos em relação às exigências e à qualidade dos cursos. A maioria se matricula numa hora de entusiasmo e acredita que a educação a distância é de segunda e que vai ter o diploma barato, sem muito esforço. Quando vêem que é sério, desistem” (Elaine Guarisi)



Descobri também que em países da Europa, essa modalidade de ensino é muito utilizada, e os profissionais são muito bem aceitos no mercado, pois os empregadores entendem que os mesmos são mais disciplinados e responsáveis. É lamentável que no Brasil ainda existam instituições e organizações tentando barrar os formados pela modalidade EaD, ou proibi-los de prestar concurso público, sendo que isso é garantido por lei. A EaD possibilita o ingresso no ensino superior de pessoas que, pelo método 100% presencial, nunca teriam conseguido graduar-se (faço uma ressalva aqui: claro que há cursos que não podem ser oferecidos na modalidade EaD devido às aulas frequentes em laboratório; minha primeira faculdade é um exemplo disso, então, não existe medicina, enfermagem, e alguns outros cursos que exigem laboratório, à distância, ok?).

No Brasil, a graduação à distância é regulamentada pelo MEC, e claro, é necessário estar atento às instituições que estão autorizadas a oferecer essa graduação, com qualidade. É o que estou fazendo; depois de terminar uma graduação presencial e viajar por quatro anos, encontrei na graduação à distância uma opção para conseguir fazer uma segunda faculdade, uma vez que trabalho e, por causa dos horários, não tenho condições de viajar novamente.

Acredito que ainda há pessoas que “torcem o nariz” para essa modalidade no Brasil porque aqui ainda temos o preconceito, pois é algo novo, e infelizmente não costumamos tentar conhecer o novo, preferimos criticá-lo sem nem saber do que se trata! Foi o meu caso, mas, como já escrevi anteriormente, “paguei a língua”. Mudei de opinião, o que acho ótimo, porque, como já cantava Raul Seixas, “eu prefiro ser essa metamorfose ambulante, do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo”!

8 comentários :

Marcelly disse...

Nossa Li adorei seu texto, parabéns !
Ele vêm de encontro a minha vontade de cursar faculdade e não ter tempo prá cursar uma universidade presencial.
Por isso estou pensando em prestar vestibular para o CEDERJ q é no sistema EAD e totalmente gratuito !
Abraços !!!

Ana Karenina disse...

Olá Lizena

Vi o link deste blog lá no twitter, foi divulgado pelo dicas_blogger.

Eu acabei de fazer especialização a distância e te digo que tem as vantagens e desvantagens nessa história aí.

A EAD é ótima para quem já fez uma graduação e já sabe mais ou menos que rumo seguir numa pós, é mais fácil de lidar com as dificuldades em fazer os trabalhos, é mais barata que a convencional e não precisa ir sempre a faculdade.

Existe EAD com aulas presenciais e tem também outras que são totalmente a distância como a que fiz, neste caso é preciso ter uma disciplina grande pois o MEC exige que seja feito provas mesmo, mas ainda existe umas que só fazem trabalhos, pra quem nunca cursou faculdade acho mais dificil de entender certas coisas.

O aluno que quer fazer EAD precisa antes de tudo consultar se a faculdade é reconhecida pelo MEC, porque senão o certificado ou diploma não será válido nem reconhecido. As faculdades perdem o credenciamento com muita facilidade, mas se o curso for reconhecido e perder enquanto vc estiver estudando seu direito é garantido.

É uma boa opção, mas é preciso analisar os prós e contras, no meu caso eu não tive muita opção, mas não recomendo a todo mundo não, é preciso ver caso a caso.

Abraço.

Deise disse...

Uma curiosidade.....
qual curso vc irá fazer ??

Parabéns pelo futuro casório.

Adriano Mendonça disse...

Eu era muito crítico com relação a EAD, não conhecia a modalidade e sempre fui aluno de cursos tradicionais. Só que devido ao ritmo da minha vida, acabei optando em fazer uma graduação na modalidade EAD, apareceu uma grande oportunidade e mesmo com toda desconfiança resolvi fazer um teste, fiz o processo seletivo e passei, iniciei em Setembro/11 o curso de Bacharelado em Sistema de Informação pela UFRPE, e estou muito surpreso com a qualidade, o curso é muito bom e desenvolve no aluno muitos atributos, que poderão fazer a diferença no mercado de trabalho. Aconselho a qualquer um que faça o curso a distância, acredito que assim como na presencial, temos que procurar instituições serias e com qualidade comprovada.

Damara disse...

Olá Meu Nome é Damara.
Gostaria de fazer faculdade a Distancia
Mas tinha duvida SObre a aceitação No mercado
E eu realmente concordo com Tudo que escreveu.
OBRIGADO . AGRADEÇO POR ESSA POSTAGEM
PORQUE ME AJUDOU Muinto a toma essa decisão.

Júnior Gonçalves disse...

Olá Damara! Fico muito feliz que este artigo tenha ajudado na sua decisão.

Infelizmente, ainda há muito preconceito nessa modalidade de ensino no mercado, mas, isso esta mudando, pois alunos de EAD na sua maioria são muito mais discilplinados que alunos que estudam em curso presenciais.

Boa sorte no seu curso! Abraços,

Deixa o vento soprar disse...

Eu faço minha faculdade à distância pela Unip Interativa, eu gosto bastante, nunca tive problemas, estudo além do conteúdo que é abordado no Ava. Acredito que o esforço e comprometimento são maiores ainda nesta modalidade.Eu me considero mais inteligente do que muitos que fazem na modalidade presencial.

Anônimo disse...

Adorei seu post! Assim como vc tb fiz graduação presencial e viajei todos os dias por 4 anos. Agora estou fazendo minha segunda graduação a distâcia e estou amando. No meu blog compartilho um pouco mais dessa experiência.
Beijocas

Postar um comentário

 
;